Sob a lua vermelha de novembro...

Quando tudo isso começou? Quando as engrenagens do destino começaram a girar? Talvez seja impossível achar a resposta agora, profunda no fluir do tempo...

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, MG, Brazil

Eu? Apenas mais um andante solitário...mas todos os andantes tem uma ou outra lição a passar devida à sua intimidade com a estrada. A estrada é sábia. Embora seja certo que o caminho ainda segue muito à frente... quantas lições nos esperam?

sábado, julho 02, 2005

O último luar

*****



*****

O último luar


Os sonhos se foram;
voaram com asas do anoitecer.
Ó cheia lua, me dize,
quando é meu tempo de morrer?

Hoje as estrelas brilham lá longe;
(recantos de céu...)
Minha alma um dia brilhou com elas;
(num tempo sem véus...)

Lembro, ouvia nas ondas
sonetos de amor...
Lembro, diziam as conchas
presságios sem dor....

Ó cheia lua, me dize,
que foi das promessas, do ardor?
Os sonhos que foram,
que cadente estrela os levou?

Hoje o infinito refulge:
grãos de prata em torno de mim;
Já fulgiram meus olhos um dia,
só vela treva agora ali.

Lembra, dos risos no ar,
(da felicidade?)
Lembra, dos dias no mar,
(da saudade?)

Quando despontava tua estrela
junto à lua cheia...
Quanto eu vigiava tua estrela
sorvendo tristeza!

Quanto do mundo voou
junto à tua ida?
Quando tua estrela doou
o brilho da vida?

Ó espelho ondulado,
em tuas entranhas
buscarei minha sina:
resgatar a estrela perdida
ou perecer... na tentativa.


_____________________________________________


(Autor: Bruno Neves Oliveira)

3 Comments:

Anonymous Frozen said...

Oh! Amei o poema! Vc tem talento, moço. ^^
Um tanto dramático, mas me fez imaginar (:
;*

1:05 AM  
Anonymous Enrique Menezes said...

Prezado Bruno,

Enquanto leio sua poesia escuto a música suave de Loreena McKennitt, e que estonteante união causou os seus versos, as apaixonantes imagens e os acordes quase místicos, quase oníricos de McKennitt.

Sinto me tragado para uma floresta nórdica da idade média, em um acampamento de ciganos que cantam e dançam quase em transe, enebriados pelo vinho e pela mágica, é como se você estivesse nessa pictórica paisagem...

9:03 PM  
Anonymous vitor said...

muito bom o poema, foi o q eu lhe pedi para fazer? ^^
ficou muito bom mesmo

8:20 PM  

Postar um comentário

<< Home