Sob a lua vermelha de novembro...

Quando tudo isso começou? Quando as engrenagens do destino começaram a girar? Talvez seja impossível achar a resposta agora, profunda no fluir do tempo...

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, MG, Brazil

Eu? Apenas mais um andante solitário...mas todos os andantes tem uma ou outra lição a passar devida à sua intimidade com a estrada. A estrada é sábia. Embora seja certo que o caminho ainda segue muito à frente... quantas lições nos esperam?

terça-feira, janeiro 04, 2005

Dos lamentos de Daeron




I

Onde as estrelas forte brilham no céu?
Onde as terras jazem dentre gaze e véu?
E onde rubras pétalas ainda destilam mel...?

Para onde, para onde se foi o meu amor?
Para onde, para onde aquele homem a levou?
Para onde, para quão longe, a minha andorinha voou?
E para onde, pois, devo partir agora, e para onde eu vou...?

II

Mas quando, quando a beleza partiu dos bosques?
E quando, quando se foi a certeza de minha sorte...?
Mas quando, aqui, a primavera se foi e chegou a morte?
E quando, em mim, brotou angústia e floresceu tão forte...?
Quando, enfim, em que tempo abandonou-me ventura e acorde?

Até quando, até quando lágrimas rolarão?
E até quando, até quando as chagas persistirão...?
Até quando, até quando eu vagarei a sós pelo chão?
E até quando, então, minha esperança durará em vão...?
Até quando, até quando por fim baterá meu coração?

III

Por quantas eras, quantas eras não voltará o dia?
E por quantas eras não será minha voz ouvida...?
Por quantas eras, quantas eras a floresta será fria?
E por quantas eras tristes carregarei a minha sina...?

Por quantas eras, ó Varda, será amarga e ingrata a minha trilha?
E por quantas eras em Arda será minha runa em pedra escrita...?
Por quantas eras, afinal, será lembrada...e cantada...a minha vida?


Pois sou Daeron...de Doriath...


________________________
(Autor: Bruno Neves Oliveira)

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Bom dia nobre Bruno!!!!
Gostei deste poema, é bom ver que no meio de tantos blogs inúteis existam alguns que realmente valham a pena pararmos e lermos um pouco :)


Tenha excelente meditações!


O Flautista

10:09 AM  
Anonymous Anônimo said...

De: Helena
Para: Bruno

O amor é tudo que importa para quem ama...

"cuida muito em fazer chorar uma mulher, pois Deus conta suas lágrimas"... (diz um ditado do Talmud judaico)
e isso eu digo a ti porque és homem.

mas a todos, o mistério do óbvio: "cuida muito em fazer chorar alguém que te ama, pois são suas próprias lágrimas..."

Bruno, espero que seu caminho, no amor, e o de todos os que assim quiserem viver...seja límpido e claro...
que só haja as turvações suficientes para que você veja o que fizeram (ou fizemos?): "o que foi feito amigo, de tudo que a gente sonhou...o que foi feito da vida, o que foi feito do amor"...assim diz a canção. Mas só.
Luz,
muita luz
nenhuma sombra da mentira
no seu caminho.

4:09 PM  
Anonymous Anônimo said...

Hail!!
bom, eu nunca tneho muito que comentar, mas td bem...
assim, vc escreve mto bem, sabia!? naum consigo fazer um verso sequer hahah
e de novo, aquela imagem eh lindaaaaaaaaa
B-juuus
Nara

6:04 PM  
Anonymous Anônimo said...

Agora percebo que a sensibilidade eh a alma do poeta...


Vitorio

6:58 PM  
Anonymous Anônimo said...

mamaum said:
Soh... sem palavras a comentar....
heuaheuahuheuaehuah
flw cara
abraçs
fui...

7:52 PM  
Anonymous Anônimo said...

Então, que mal que você disse que eu não posso zoar, senão tu me bloqueias no messenger.. :(

É isso amigo, "A inciação é a própria vida".. falo que nem um papagaio amarelo que acabou de sair do casulo..

Arëlenath.

7:57 PM  

Postar um comentário

<< Home