Sob a lua vermelha de novembro...

Quando tudo isso começou? Quando as engrenagens do destino começaram a girar? Talvez seja impossível achar a resposta agora, profunda no fluir do tempo...

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, MG, Brazil

Eu? Apenas mais um andante solitário...mas todos os andantes tem uma ou outra lição a passar devida à sua intimidade com a estrada. A estrada é sábia. Embora seja certo que o caminho ainda segue muito à frente... quantas lições nos esperam?

domingo, junho 04, 2017

No Tempo Profundo


No tempo profundo


(...)

O universo canta, silencioso
a nascida esfera no enfeite;
que chora nuvens de fogo,
sugando cometas por leite...

(no tempo profundo...)

Tal acne, vicejam vulcões em gênese
ali a separar terras; acolá em mar fecundo,
vomitando dentre entranhas ardentes
os perenes tijolos do mundo...

(no tempo profundo...)

E mais fundo, tanto e tanto,
chega-se, pós esforço hercúleo,
aos ferrosos frutos do Manto
do planeta parido ao núcleo...

(no tempo profundo...)

Nesse frenesi louco dos ponteiros,
continentes bailam em águas vermelhas;
e transmigram os pólos nos eixos
lamentando-se de luas desfeitas...

(no tempo profundo...)

Correntezas aninham o pó do ontem
tatuando na térrea pele veias insones
expondo antigos ossos, negros sangues,
escavando incessantes – até onde?

(no tempo profundo...)

No lento maturar das rochas velhas
que sofreram por eras eternas;
em seus gritos, inscritos em pedra,
se encerram as pistas das ciências da Terra...


(no tempo profundo...)